Terça-feira, 21 de Agosto de 2012

"Sondagens, Eleições e Opinião Pública"

 

Pedro Magalhães é autor de "Sondagens, Eleições e Opinião Pública".


Pode adquirir, hoje, este livro com o DE. Por mais 2,4 euros.




Devem  as pessoas acreditar em sondagens? Porquê?

 

Uma das coisas em que mais insisto no livro é na ideia de que aquilo que as pessoas pensem sobre as sondagens não deve estar baseado em “crença” ou “descrença”. O objectivo do livro é precisamente o de dar aos leitores, de forma simples, alguns dos instrumentos de que necessitam para poderem olhar para cada sondagem e para o seu conjunto de forma crítica, percebendo as suas potencialidades e limitações, e ficando a saber que aspectos (dimensão da amostra, método de amostragem, questões utilizadas, etc.) afectam os resultados. Sabendo isto, deixa de ser necessário olhar para as sondagens sob o ponto de vista da “crença” ou da “descrença.”  Esses são termos adequados para discutir questões religiosas, espirituais, ou morais, não para atividades que lidam com factos e dados empíricos.


As Margens de Erro são uma desculpa ( que serve para quase tudo justificar)?

A existência de erro amostral resulta do facto de, numa sondagem, se usar informação recolhida junto de uma parte (a amostra) da população relevante para fazer inferências sobre toda essa população. Trata-se, por isso, de algo que tem de ser comunicado muito claramente, para que se perceba que, quando se quer dizer algo sobre  uma população com base numa amostra, há sempre um preço a pagar: algum grau de incerteza. A vantagem das sondagens, contudo, é que essa incerteza pode ser estimada rigorosamente, ao contrário do que sucede quando damos um mero palpite. É isso que significa apresentar "margens de erro": incerteza, mas estimada rigorosamente. De resto, isto aplica-se a todas as medições de qualquer fenómeno, social ou natural, onde se use um número limitado de casos para fazer uma inferência sobre o todo. Só quem não compreende isto pode querer usar o erro amostral como “desculpa” ou interpretar a sua apresentação como tal.


Qual a relação entre "Sondagens" e "Democracia"?

As sondagens de opinião dão-nos informação sobre o que pensam os nossos concidadãos, e essa informação pode ser-nos útil para tomarmos as nossas próprias decisões numa democracia. Cada um de nós move-se num círculo social limitado, e é fácil formar convicções erradas sobre o que pensam os restantes membros da sociedade se nos basearmos apenas naqueles com quem convivemos. As sondagens de opinião ajudam a corrigir esse enviesamento natural, alargando e rectificando a nossa visão da sociedade. Para além disso, elas ajudam a contrabalançar afirmações muito comuns no discurso político, sobre o que “os portugueses pensam” ou “os portugueses querem,” geralmente baseadas em pouco mais do que os desejos daqueles que as proferem. Finalmente, importa não esquecer que a metodologia dos inquéritos por questionário é usada em muitas outras coisas para além dos estudos de opinião: grande parte da informação estatística sobre a sociedade e a economia portuguesas baseia-se nessa metodologia. Sem essa informação, a responsabilização política daqueles que nos governam seria certamente mais deficiente, e assim seria mais deficiente a nossa democracia.






publicado por livrosemanias às 08:08
link do post | comentar | favorito
|


Mais sobre mim
Sobre a Mafalda

More about me
About Mafalda

Agenda
Agenda

África, Ásia e Brasil
Quer ir para Angola?

Around the World

pesquisar

 

Maio 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

Homenagem ao Professor Ve...

Sócrates perde para Astér...

'Jogadas' com Blatter e o...

Ondjaki vence Prémio Lite...

Moçambique, Astérix, cris...

Biblioteca de Papel no CC...

Gomes Ferreira continua a...

MBA júnior, inteligência ...

Sócrates, Soares e Lula ...

" O meu programa de Gover...

arquivos

Maio 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

blogs SAPO

subscrever feeds